logo Colégio pH

Multiculturalismo e diversidade: como são trabalhados no colégio?

Multiculturalidade no pH

Vivemos em um mundo, felizmente, pautado na pluralidade e na diversidade cultural. E essas distinções, em vez de nos definirem e nos limitarem, mostram-nos como estamos unidos pela humanidade. Diante disso, a melhor forma de combatermos a intolerância e o desrespeito que ainda insurgem contra ela é abrir, cada vez mais cedo, o diálogo sobre a importância de se entender tais diferenças no debate sobre o multiculturalismo, ou seja, a coexistência de culturas diferentes em um mesmo território e a forma como esse é um elemento enriquecedor para a sociedade como um todo.

O Brasil é um país de proporções continentais, marcado pelo multiculturalismo. Levar essa questão para o ambiente escolar é trabalhar, ao mesmo tempo, uma série de competências essenciais para o desenvolvimento socioemocional, incluindo o respeito. Afinal, educação é sobre a formação integral de indivíduos capazes de contribuir positivamente para a vida em sociedade.

O fenômeno da globalização tem contribuído para uma presença ainda maior do multiculturalismo na nossa sociedade, seja pelo contato indireto com diferentes culturas por meio das novas tecnologias, seja pela convivência direta com pessoas de vários locais do país e do mundo.

No Colégio pH, a abordagem de diferentes identidades culturais e da heterogeneidade é essencial, fazendo parte da proposta pedagógica da escola em todos os ciclos de ensino. Continue lendo para saber por que é crucial que crianças e adolescentes aprendam outras culturas no ambiente escolar e como fazemos isso no nosso ambiente escolar.

Educar para a diversidade

Conviver com a diferença acaba por expor determinadas questões que precisam ser debatidas e problematizadas. A xenofobia, por exemplo, é tratada como uma violação dos direitos humanos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Esse preconceito baseado na origem regional ou nacional está na base de práticas danosas a níveis individual e coletivo.

Na sociedade brasileira, há uma grande aceitação de imigrantes europeus ou norte-americanos, mas uma exclusão crescente de grupos oriundos da Bolívia, Venezuela, Oriente Médio e países africanos. Regionalmente falando, migrantes do Norte e Nordeste também enfrentam grandes dificuldades de aceitação ao se mudarem para outras regiões.

A diversidade é sobre origens, mas também sobre hábitos, costumes, etnias, religiões, e diferentes formas de ser e estar no mundo. Todo o trabalho de conscientização feito deve ter como objetivo o livre exercício da individualidade, sem a ameaça ainda tão presente da discriminação.

Durante o processo de ensino-aprendizagem, é fundamental que crianças e adolescentes contactem e reflitam sobre as diferenças, abrindo caminho para a ampla aceitação. Dessa forma, conseguem compreender melhor o outro e eles próprios, pois o conhecimento é, também, uma ferramenta de autoconsciência.

Especialmente nos anos iniciais, quando são trabalhados os alicerces da formação identitária, as crianças devem ter acesso a uma visão mais honesta acerca de outras culturas. Durante esse processo, livre de estereótipos e de julgamentos, desenvolvem as suas opiniões, o pensamento crítico e uma postura questionadora.

Vicente Delorme, diretor de planejamento e processos pedagógicos do Colégio PH, afirma sobre o processo no ensino fundamental e médio. Fazendo uma analogia onde o fogo é uma discussão, o diretor explica que: “no microcosmo da sala de aula o intuito é gerar debates importantes e não surgir como bombeiros para apagar o fogo, mas sim provocar pequenos incêndios em um espaço controlado e mediado para que quando houver um incêndio de verdade fora do colégio, possamos garantir que esse aluno já parou um dia para refletir sobre esse tipo de questão e pela maneira reflexiva que foi conduzida, tem uma forma diferente de lidar com isso, com mais noção de responsabilidade sobre aquilo que eles falam e  da forma que falam.” 

Multiculturalismo no Colégio pH

Para nós, a identidade cultural e a diversidade na proposta pedagógica já são uma realidade. O nosso objetivo com cada atividade e iniciativa é o desenvolvimento de um olhar humanitário, um senso de coletividade e cidadania, elementos que estão sempre na origem de grandes mudanças.

Acreditando que o futuro começa no presente, levamos discussões tão presentes na sociedade para o dia a dia, com a abordagem adequada a cada contexto. Ao desenvolvermos o protagonismo dos alunos e das alunas, fazemos com que eles acreditem ter vez, voz e a possibilidade de contribuir para mais justiça e compreensão social.

Confira como é, na prática, a nossa ação e sensibilização multicultural com os alunos, as alunas e toda a comunidade escolar.

Formação continuada dos professores

Em contato direto com os estudantes e fazendo a mediação do processo de ensino-aprendizagem, os professores precisam estar permanentemente atualizados. Por isso, investimos na formação dos docentes por meio de workshops e seminários sobre questões relevantes para a compreensão da diversidade cultural.

Munidos de conhecimento, eles podem adequar os temas a cada faixa etária, indo desde abordagens mais lúdicas no Ensino Fundamental I até a apresentação de problemas complexos nas séries posteriores.

Ações sociais propostas pelos próprios alunos

Como o protagonismo é um dos pontos centrais das metodologias ativas utilizadas por nós, é essencial que os alunos e as alunas conduzam o aprendizado sob a orientação dos docentes. Por esse motivo, há sempre espaço para que apresentem propostas sobre a forma como diferentes temáticas podem ser trabalhadas.

Por meio da interdisciplinaridade, nós, do colégio pH, combinamos as informações obtidas nas diferentes disciplinas e levamos adiante projetos dedicados à compreensão da heterogeneidade e da diversidade cultural. 

Isso pode ser feito, inclusive, no contexto do pH Arte, Cultura e Ciência, um projeto em que cada aluno realiza investigações de forma autônoma e, depois, apresenta os resultados da forma como desejar. As opções vão desde experimentos a peças publicitárias e ações criativas.

Programa “O Líder em Mim”

Direcionado para alunos e alunas do Ensino Fundamental I e II, o programa “O Líder em Mim” é baseado em estudos realizados pela Fundação Franklin Covey Co. O projeto, que foi adaptado à realidade brasileira, estimula o desenvolvimento de competências socioemocionais com o objetivo de mudar comportamentos e obter melhores resultados.

Isso significa que, ao longo do ano letivo, incentivamos a comunicação, o relacionamento interpessoal, a autonomia, a criatividade e a empatia. Por meio de diversas atividades, encorajamos a proatividade, a formação de novos agentes transformadores da sociedade e o fim da discriminação e do preconceito a partir da mudança.

O nosso compromisso com a educação se traduz em ações, e, diariamente, contribuímos para um mundo mais justo formando indivíduos conscientes e socialmente responsáveis. 

Descubra mais sobre o pH, colégio no Rio de Janeiro, fazendo um tour virtual pelas nossas unidades

Quero fazer um tour virtual!

Postado porpH

Postado em7 de junho de 2021


Palavras chave:

Leia mais

Ver todasclique para conhecer mais
receba nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba as últimas novidades por e-mail

    entre em contato

    Entre em contato

    Entre em contato que nós iremos responder assim que possível.

      Copyright © | - Todos os Direitos Reservado por

      Termos de Uso|Politica de Privacidade